Pecado


“É engraçado a sensação de respirar quando já não há mais nada”

Suspirou profundamente, uma, duas vezes. Olhou para o teto e para as paredes frias que se fechavam sobre si. Passou os dedos pela calça de pano, já esburacada na área dos joelhos, se encolhendo em si mesmo. Não era o tipo de cara que escondesse suas fraquezas. Mas também, não existe espaço para orgulho quando só tem a si mesmo e as paredes frias de uma cela.

Passou os dedos pelos cabelos raspados. Eles não costumavam ser assim antes de tudo. Antes dela, antes das dores, antes do fatídico dia. Mas não iria remoer novamente – talvez  pela milionésima vez – seu passado errôneo.

As vezes chorava pelo que fez, mas sabia que já não havia como voltar no tempo, não havia mais perdão. Afinal, não havia ninguém no mundo que fosse capaz de dizer que estava absolvido pelo que fez, nem para quem ele pudesse pedir desculpas.

Ele pegou uma pedra e fez um risco na parede de pedra. Mais um dia se passava. Mais um dia em seu inferno particular.

É engraçado a sensação de respirar quando já não há mais nada. Mas ele respirou!

Créditos: Amanda Soares, vulgo uma amiga minha XD. Adorei o texto, resolvi escrever aqui ^^

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s