Capítulo 10


Fanfic: Uma Nova Esperança

Cap 10

–         Eu sei que hoje em dia as coisas são modernas, com internet, DVD, computadores, celulares, mp3 e afins. Mas quero que vocês jovens não esqueçam uma coisa: Férias de Verão é o momento para se divertir. Com muito empenho e responsabilidade, vocês finalmente a terão. Façam seus deveres e na volta, vamos estudar de novo! Pronto, podem comemorar.

–         FINALMENTE!!!! Férias de Verão!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! – Em uníssono, boa parte da sala grita, feliz da vida. Momiji também comemora com a galera, enquanto Machi e Haru ficam calmos e guardam seus materiais.

O sermão dado para sala não podia sair de qualquer uma! Obviamente, Mayu falou tudo o que pensava pra aqueles novatos, ela sempre fazia isso, mas dessa vez pegou mais leve. Ela ultimamente está mais tolerante e menos estressada…Não é a toa que irá tirar férias por uns dias também. Ela vai viajar com o Hatori pra comemorarem o noivado. Isso mesmo, ele noivaram, daqui a pouco casarão.

Assim como os outros três, Kimine sai de sua sala, meio desanimada, mas enfim em férias! O calor estava insuportável, mas mesmo assim Kimi-chan estava com calça. A loira vai de encontro com os outros três amigos e comenta, desanimada:

–         Esse calor está me matando. Nunca vi um Verão tão quente quanto este.

–         Acho que vou ficar embaixo daqueles esguichos de novo… Eles são tão refrescantes…- Haru comenta, aleatoriamente, e continua com sua aleatoriedade, terminando – Falando em calor, a Rin quer cortar o cabelo de novo, pra ficar mais fresco, mas ela fica tão linda com o cabelo comprido…

–         Tanto faz, Haru, você a ama de qualquer jeito mesmo! – Após falar com Haru, Momiji olha para as duas garotas, terminando – A gente pode comprar uns sorvetes, ou comer alguma coisa fria pra dar uma refrescada… Esse Verão está a beira do insuportável mesmo – O Coelho comenta, passando suas mãos pela testa e pelo seus cabelos, pra tirar o suor.

–         Eu acho que nem estou muito bem por causa desse maldito calor. E mesmo chovendo não refresca, isso complica mais ainda a situação – Reclama a loira, que coloca sua mão em sua nuca. Ela fecha os olhos e suspira, terminando – Enfim. Vamos embora, Machi-san?

A garota que ficou calada a conversa inteira, concorda com Kimine, balançando positivamente a cabeça. Ambas se despedem dos dois Soumas, mas antes de irem embora, Momiji avisa Kimine:

–         Ah! Kimi-chan, mais tarde eu te ligo. Você terá uma surpresa! Pode aguardar que eu te ligarei.

Kimine assente, com um sorriso e, dando as costas, seguiram seus caminhos.

**

Kimine se despediu de Machi e subiu para seu apartamento. Ela mora no 10° andar, então nada de escadas, era só esperar o elevador. Finalmente ela chega em casa e deixa sua mochila em cima da mesa.

A casa da loira é relativamente pequena, mas como mora só, acaba se tornando espaçosa. A sala, onde via uma mesinha com almofadas para sentar, que ficava de frente para TV,  servia para fazer suas refeições e trabalhos da escola, dando à sala um ar de amplitude, com os móveis bem distribuídos e cor uma cor agradável, um azul claro que parecia estar no céu. A entrada do apartamento da garota fica do lado esquerdo dos elevadores. Do lado esquerdo, também da porta de entrada, já dentro de casa, se vê a cozinha, que tem o estilo americano, com meia parede, mas é uma cozinha pequena. seguindo a parede do lado de fora da cozinha se via o corredor, que dava para os dois quartos e banheiro. Tudo bem pintado, decorado e relativamente organizado.

Kimine dá uma olhada na geladeira e resolve pegar uma garrafa d’água e vai pra sala, pensando:

“Vou tomar um banho primeiro, depois eu como alguma coisa. Por enquanto só vou tomar uma água”.

Ela vai pro banho. Ao terminá-lo, a garota põe roupas mais leves e frescas, como um shorts e uma regata, mostrando algumas cicatrizes em seu corpo. A mais chamativa ficava em seu ombro direito, que se estende da ponta do ombro até o fim da omoplata, como se algo houvesse atravessado seu ombro. Por esse suposto atravessado, se via também a cicatriz em suas costas. Algo que lembra a cicatriz de nossa possuída do cavalo, Rin-san. Haviam mais 3 cicatrizes, duas delas ficavam na perna direita, com uma sendo do joelho até uma parte da perna, era a menor cicatriz. E a outra na batata da perna. Por fim, a última cicatriz se encontrava na perna esquerda, mas se via apenas uma parte dela, já que o shorts escondia o restante.

**

Depois de almoçar ela começa os serviços de casa,  como arrumar a casa, lavar roupa, fazer o dever da escola, afinal, ela morava sozinha, então sempre se virava. Depois de muito serviço, ela vê que a noite já chegou e reclama:

“Eu fiz tudo hoje com essa dor no corpo e dor de cabeça. Acho que não estou legal. Meu corpo pede descanso…”

Ela mede sua temperatura, quase 39°. Tudo o que ela pensa é a palavra “droga” e rapidamente pega o telefone. A loira disca e espera.

–         Alô?

–         Machi! Kimine aqui. Olha, eu sei que isso será inconveniente, mas nesse momento eu só tenho você por perto. – Kimine fala baixo e devagar, para a cabeça não latejar mais.

–         O que foi, Kimine? Sua voz está diferente…

–         Eu não estou bem, acabei de ver que estou com quase 39° de febre, e como achava que era só por causa da indisposição do calor, eu fiz coisas que não devia. Tem como você vir pra cá? Eu já ligo para a portaria e deixo a porta destrancada. Vou ficar no meu quarto. Eu realmente não estou nada bem.

–         Ok! Fique calma, já estou saindo aqui.

Kimine desliga o telefone, liga para a portaria e destranca a porta. Quando enfim começa a rumar para seu quarto, o telefone toca. Kimine atende, cansada e indisposta:

–         Alô?

–         Oi, Kimi-chan. É o Momiji, tudo bem? Eu te acordei?

–         Oi, não acordou não… Pra ser sincera não estou bem… Estou com febre.

–         Sério? Ixi… Se cuida viu!! Agora você me pegou de surpresa, mas posso contar a minha surpresa?

–         Pode. – Kimine se senta no chão, apoiada na mesa, tentando se concentrar no que o coelho falava.

–         Eu realmente espero que você fique boa, pois daqui cinco dias você estará na praia! Eu consegui a casa da família. Vamos ficar uma semana por lá. Você vai né? Já conto com sua presença.

Kimine tenta raciocinar, mas sua febre parece piorar, parece derrubá-la cada vez mais. Ela tenta responder, mas ela apenas diz:

–         Momiji, traga o Hatori aqui, por favor.

Assim que termina a frase, a loira derruba o telefone no chão e põe as mãos no rosto. Ela começa a ficar ofegante e acaba desmaiando, caindo de lado. Nessa hora, Machi abre a porta e quando vê a garota no chão, vai correndo para socorrê-la. Ela não sabe o que fazer e apenas vê o telefone no chão. O atende:

–         Alô?

–         Machi?? O que aconteceu? Eu não entendi nada… A Kimine está aí?

–         Momiji, ela desmaiou! Eu realmente preciso de sua ajuda!!!!


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s