Capítulo 4


Fanfic: Uma nova Esperança

Cap 4

–         Bom, nos vemos amanhã – Essa foi a última frase do professor nesse dia. Enfim bateu o sinal e como combinado, Machi e Momiji vão para o Grêmio. Passando pelos corredores, Momiji vai saltitante e confiante, enquanto Machi…Bem, ao estilo Machi de sempre, calma e andando. Até que Momiji quebra o silêncio, parando de saltitar, e falando como uma criança feliz:

–         Será que teremos mais surpresas?

–         Não sei…- Apesar de sua resposta, por dentro ela pensava se realmente teria, e se seria boa.

Chegando no Grêmio, os dois descobrem os outros dois cargos. Nao ficou com a presidência e com seu discurso, deu pra perceber que estava mais tolerante e maduro. Já na vaga do outro secretário, estava lá um tal de Youta Watsuki, do 1° A. Após se apresentarem, todos se organizaram nos serviços, espaço de cada um dentro da sala e nas questões de reuniões.

No fim de tudo, Machi se dirige aos armários da escola, pra deixar seus sapatos e pegar alguma outra coisa. Ao sair da escola, a brisa da primavera estava mais fria e forte, fazendo os cabelos de Machi esvoaçarem, a fazendo desistir de arrumá-lo.

Kimine a tinha visto saindo da escola e foi correndo ao seu encontro, dizendo:

–         Hey, Machi, me espere!

A garota ouve e espera em silêncio.

Quando Kimine chega, ela põe suas mãos nos joelhos, mostrando que está cansada. Ofegante pergunta:

–         Obrigada! Mora perto daqui?

–         Sim, três quadras pra lá – Machi aponta para direita.

–         Nossa, que coincidência, eu também moro pra lá! vamos juntas?!

Machi apenas olhou para ela e voltou a andar.

Kimine entendeu como um “sim” e a seguiu. O clima entre elas parecia frio e a loira percebeu isso. Tentou puxar assunto:

–         O que achou do Grêmio?

–         Nada demais…

–         Ah… – Ela dá um sorriso fraco, do tipo “acho que piorei a situação”

Machi apenas dá alguns passos e para. Ela fica em silêncio e Kimine acaba parando um pouco a frente e se volta para a morena, fazendo seus cabelos esvoaçarem no seu rosto. Ela ainda estava tentando entender porque a garota parou. Machi pergunta:

–         É impressão minha ou você se interessa em conversar comigo? Não percebe que eu sou a excluída, esquecida e sem graça? – “Eu não entendo! Por que se interessar por mim? Naquele dia ela foi totalmente diferente e hoje vem com essa de educação e sorrisos? Ela não era a delinquente do 1° ano? Não faz o menor sentido!”

Quando Kimine ouviu aquilo, ficou surpresa, com os olhos arregalados. Ela olha para Machi, pensativa e finalmente responde:

–         Eu tenho meus motivos, mas se você não gosta disso, tudo bem, eu me retiro. Não tem o por que estar perto de alguém que não me quer por perto. Entendo isso perfeit… – Kimine falava fria, mas Machi não conseguia ver  seu rosto, por causa dos cabelos. Mas entendeu as palavras da loira, e a interrompeu:

–         Não!! Ahn…- Machi percebeu que não adiantava usar aquelas palavras duras. Não resolveria a condição dela, mas também não sabia como explicar para Kimine. Apenas ficou em silêncio, pensativa, sem saber quais palavras usar.

Kimine por sua vez observa a garota, esperando uma resposta melhor. Até que ela dá as costas e arruma o cabelo, mais parada. Ela sabia que Machi a responderia, por algum motivo…

Machi não encontrou nada melhor pra consertar o diálogo anterior…E novamente pergunta:

–         Quais são seus motivos, afinal?

A resposta que Kimine esperava veio em pergunta, mas mesmo assim sorriu e respondeu, virando-se novamente:

–         Eu simpatizei com você antes daquele dia, até. Ahn…aquele incidente sabe? Eu não me esqueci dele não!

–         Do ano passado?

–         Sim, ele mesmo! Calma, não é apenas por isso, mas admiro alguém que consegue manter tamanha calma diante de trogloditas como aquelas. E caramba, nem elas perceberam que vocês já estavam juntos?

–         Eu me acostumei… Ei… Peraí, você sabia que…?

–         No fundo, eu sou muito parecida com você. – Dessa vez, o sorriso de Kimine sumiu. Em seu rosto exprimia um vazio, mas logo o tirou e terminou – Mas é sério, dava pra perceber que vocês estavam juntos. É impressão minha ou tentaram esconder pra não provocar o Fã-clube?

–         Como assim parecida comigo? – Machi percebeu que ela estava diferente, e perguntou pra saber a relação. – E sim, escondemos pra não haver muitos problemas principalmente pra mim.

–         Ahn…primeira resposta – Nesse momento, Kimine cruzou seus braços atrás da cabeça e sorriu – Ah… Ser acusada por uma coisa que nem fez, ser mal interpretada pela escola inteira…Enfim! Receber preconceito de todos. A diferença é que com você é pelo seu jeito, comigo é pelo jeito e aparência! É complicado…Eu já não tenho paciência e ainda tentam me prejudicar, acabo pegando antipatia de todos. Apesar que os meninos nunca fizeram nada comigo… Será medo? – A loira pergunta a si mesma, olhando pra cima em dúvida, e nem percebia que muitos garotos babavam nela.

–         O pior é saberem que você namora algum Souma, principalmente o Yuki. Acho que esse ano serei mais perseguida ainda. Mas quanto aos garotos… Você nunca percebeu que eles adoram falar sobre ti?

–         O Fã Clube descobriu já? Apesar que… Eu não estou tão longe disso…Tenho conversado muito com o Momiji, “elas” realmente te olham de um jeito medonho!!! Mas no caso dos homens… Eles na verdade nem falam comigo, eles pedem desculpas e saem… Ou então apenas dizem bom dia…

– É, então deve ser medo medo mesmo… – Machi olha pro nada da rua, pensando “Não tem como ela perceber mesmo…” e termina – E sim, não deu mais pra esconder da escola que eu e ele estamos juntos… Mas mudando de assunto, afinal, como você conhece o Momiji? Eu sei que ele também é famoso, mas vocês se aproximaram bastante.

–         Hahahaha, é uma longa história!

Machi e  Kimine até o fim foram conversando, rindo e se conhecendo mais. Será que Machi está começando a cumprir a promessa que fez a si mesma?

Isso nem ela sabe, mas no meio do caminho apenas pensou:

“Estar ao lado dela não seria de todo, ruim. Ela não parece ser uma má pessoa… Não é como julgam-na. Mas… Ainda ela é estranha”


Anúncios

Uma resposta para Capítulo 4

  1. Gii disse:

    OOOLÁ! Eu li todos os capítulos que já foram postados e gostei muito! Eu também comentei sobre a sua fic na comunidade “Outras Histórias de Furuba”. Por favor, continue postando. Está muito interessante. *—*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s